fbpx

Como trabalhar com hiperidrose? Confira dicas para o retorno presencial!

O final de 2019 e o começo de 2020 foi um período e tanto: o aparecimento dos primeiros casos de covid-19, a escalada de casos e, por fim, o status de uma doença pandêmica.

Essa escala global fez com que todas as pessoas ao redor do mundo tivessem suas vidas afetadas pelo vírus.

Dessa maneira, crianças, adolescentes e estudantes de universidades precisaram se adaptar ao ensino à distância (EAD) e trabalhadores tiveram que se adequar ao novo modelo de trabalho: o home office.

Este, por sua vez, só foi capaz para empresas com serviços não essenciais.

Foi com medo do vírus que nós, brasileiros, vivemos por quase um ano.

Sendo assim, evitávamos sair de casa e isso, consequentemente, transformou nossas relações sociais e profissionais.

No entanto, o desenvolvimento de vacinas proporcionou a redução do receio em relação à doença.

Agora, a nossa vida tem caminhado para a volta da normalidade e, por isso, muitos trabalhadores estão tendo que voltar ao expediente presencial.

Nesse caso, como lidar com o suor excessivo no trabalho? Quer saber mais? Acompanha a leitura!

Top 4 melhores antitranspirantes para combater a hiperidrose!

Hiperidrose: o que é?

É normal lidarmos diariamente com a transpiração já que é uma ação saudável e comum do nosso organismo.

O suor, inclusive, serve, principalmente, para regular a temperatura corporal. Por isso, em determinados momentos, a transpiração pode ser mais maior e intensa.

Acontece que o sinal de anormalidade acontece quando o suor excessivo é frequente e persistente.

Dessa maneira, há uma possibilidade grande de ser hiperidrose. Esse problema caracteriza-se, principalmente, pelo hiperfuncionamento das glândulas sudoríparas.

Essas glândulas sudoríparas concentram-se, especialmente, nas mãos, nas axilas e no rosto.

Assim, o suor costuma ser mais intenso e frequente nessas áreas em pacientes com hiperidrose.

Tipos de hiperidrose e como afetam no dia a dia

É importante entender que existem diversos tipos de hiperidrose.

Dessa maneira, você pode notar onde o suor excessivo é mais intenso em seu corpo e, com isso, aplicar determinados métodos para garantir uma qualidade de vida.

No caso, focaremos em três tipos de hiperidrose.

A primeira delas é a hiperidrose palmar.

Esta corresponde ao suor excessivo nas mãos que, por sua vez, proporciona vários desconfortos e constrangimentos: no ambiente de trabalho, por exemplo, há uma dificuldade em cumprimentar as pessoas bem como em pegar vários objetos.

A segunda delas é a hiperidrose axilar. Nesse caso, o suor excessivo é mais frequente na região das axilas.

Dessa maneira, é comum o indivíduo sofrer com as famosas “pizzas” debaixo dos braços o que, por sua vez, dá uma sensação de descuido com a higienização.

Há ainda a hiperidrose cranofacial que consiste no suor excessivo nas regiões do colo, couro cabeludo, face, fronte e pescoço.

Neste caso, a hiperidrose fica evidente já que são áreas visíveis.

Todos os tipos, independentemente de qual seja, tem uma forma de tratamento.

Por isso, é importante buscar acompanhamento médico para, assim, entender quais ações podem ser feitas para garantir uma melhor qualidade de vida.

Tratamento para hiperidrose

O tratamento para hiperidrose é, assim como para outras doenças e/ou condições, bem subjetivo e frustrante. Isso significa que nem sempre o que funciona para você pode dar o mesmo resultado para o outro. Assim, não há uma fórmula mágica para tratar o suor excessivo.

Acontece que o aparecimento da hiperidrose afeta – e muito! – a vida de quem a tem: interfere nas relações sociais, profissionais e com a relação consigo mesmo.

Isso acontece porque o suor excessivo, infelizmente, mexe com a autoestima e com a autoconfiança de cada um.

Para melhorar esse quadro, tratar, conforme supervisão média, é a melhor opção para melhorar e garantir uma qualidade de vida.

Nesses casos, aplicação de botox e cirurgias são alternativas.

Apesar desses métodos já estarem disponíveis, nem sempre, infelizmente, eles geram os resultados esperados.

Em procedimentos cirúrgicos, por exemplo, há a possibilidade de curar o suor excessivo de uma região e, consequentemente, causar mesmo problema em área diversa.

Sendo assim, a adoção de estratégias diárias, como o uso de antitranspirantes, é obrigatório para quem sofre com a hiperidrose.

Assim, diminui o suor excessivo e, consequentemente, garante uma segurança para viver uma rotina normal.

Hiperidrose emocional: mito ou verdade?

Ainda não se sabe o que, de fato, causa hiperfuncionamento das glândulas sudoríparas.

No entanto, há comprovações de que determinados fatores podem influenciar no trabalho delas. Alguns aspectos que interferem na produção de suor são: alimentação, remédios, doenças.

Além disso, o consumo abusivo de substâncias tóxicas ao corpo, como cigarros e bebidas alcoólicas, também podem ser causas para o suor excessivo.

Mas há também o fator emocional: pessoas com ansiedade, por exemplo, podem sofrer com sintomas como o suor excessivo.

Sendo assim, a hiperidrose emocional é uma realidade para muitos. Nesses casos, ter um acompanhamento psicológico e psiquiátrico, além do médico, é fundamental.

Dicas de como lidar com o suor excessivo no trabalho

A volta ao trabalho presencial após tanto tempo de home office pode causar ansiedade e insegurança em muitos trabalhadores.

Isso pode piorar a questão do suor excessivo para quem já sofre com a hiperidrose. Para evitar essas situações, algumas medidas podem ser adotadas:

Invista em camisas internas

O uso de camisas internas, as famosas undershirt, por baixo das camisas sociais ou dos uniformes, é uma ação válida para quem sofre com a hiperidrose axilar.

Assim, evita-se que o suor excessivo fique evidente debaixo dos braços.

Uso de antitranspirantes

Os antitranspirantes são bem importantes para a higiene pessoal de todos.

Para quem tem hiperidrose, eles são essenciais.

Isso porque tais produtos bloqueiam, de forma temporária, a ação das glândulas sudoríparas o que, por sua vez, contribui para a redução do suor excessivo.

Faça um kit para levar na bolsa ou na mochila

Levar produtos como antitranspirantes e lenços umedecidos em uma necessaire pode ser uma alternativa bacana para levar ao expediente.

Dessa maneira, você pode se higienizar bem como reaplicar uma substância para, assim, diminuir o suor excessivo no trabalho.

Aposte em maquiagens a prova d’água

As mulheres que tem hiperidrose cranofacial sofrem com o suor excessivo no rosto. Isso faz com que a maquiagem borre ou fique com um aspecto craquelado.

Para evitar essas situações, uma boa dica é apostar em produtos de maquiagem que sejam a prova d’água.

Acabe com o suor no rosto e cabeça

Gostou das nossas dicas de como lidar com suor excessivo no trabalho?

Conhece outras formas de conviver com a hiperidrose?

A maior loja virtual para quem sofre de hiperidrose do Brasil!
Facebook
Twitter
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.