fbpx

Driclor original: como identificar?

Diariamente, o uso de desodorantes e antitranspirantes já é bem recomendado.

No entanto, durante a estação mais quente do ano, o verão, essa necessidade é ainda maior, especialmente para quem sofre com a hiperidrose.

Entretanto, escolher um produto nem sempre é fácil. Além disso, infelizmente, existe de má fé que vende itens que estão fora da validade ou falsificados.

Por conta disso, hoje, nós vamos explicar um pouco mais como diferenciar o Driclor original de um Driclor falso. Quer saber mais? É só acompanhar a leitura com a gente!

O que é hiperidrose?

Certamente você já reparou que, em determinadas situações, nós suamos em maior quantidade, né?

Geralmente, o aumento da sudorese acontece durante a prática de atividades físicas ou em ambientes bem quentes. Mas sabe a razão disso?

Veja, o suor é uma ação natural do nosso organismo. Isso porque ele, além de ser responsável por eliminar toxinas, a transpiração serve para regular a temperatura do corpo.

Dessa maneira, ele é uma ação termorreguladora.

No entanto, quando um indivíduo transpira em grande quantidade e em determinadas regiões, como mãos, pés e axilas, pode ser sinal de hiperidrose.

Além disso, é preciso ressaltar que sudorese durante momentos de repouso, como no sono, não é normal.

Como o próprio nome já sugere, essa condição corresponde ao hiper funcionamento das glândulas sudoríparas écrinas.

Estas, por sua vez, excretam uma solução salina composta por água e sais minerais, conhecida como suor, que sai sem cheiro, ou seja, inodora.

Ademais, há depois tipos de hiperidrose: a hiperidrose primária focal e a secundária generalizada e ambas são diferentes.

A primeira citada, a primária focal, aparece durante a infância e adolescência e caracteriza-se pelo suor em áreas localizadas, tais quais axilas e mãos.

Já a segunda explicitada, a secundária generalizada, corresponde ao aparecimento da sudorese excessiva por meio de uma condição médica ou pelo efeito colateral após ou durante o uso de um medicamento.

Geralmente, acontece na fase adulta.

Embora não haja uma causa conhecida por médicos e cientistas, sabe-se que a produção de suor pode aumentar por conta de determinados fatores, como o consumo de bebidas alcóolicas e refeições a base de alimentos termogênicos.

Para a hiperidrose, será que existe alguma cura ou método de tratamento? Se sim, quais são?

Como tratar a hiperidrose

A hiperidrose está longe de ser uma condição letal para um ser humano. Entretanto, diariamente, é um desafio precisar lidar com ela.

Às vezes, é bem frustrante. Por isso, é fundamental procurar e ter um acompanhamento médico.

Infelizmente, não há cura para a hiperidrose. No entanto, há formas de tratamento que podem amenizar a questão do suor excessivo.

Geralmente, em casos mais graves, é recomendado a realização de cirurgias e da aplicação de toxina botulínica, mais conhecida como botox.

Isso está longe de ser uma garantia de diminuição do suor. Por isso, independentemente da situação, o uso de antitranspirantes é de extrema importância.

Um dos mais conhecidos é o Driclor.

Sobre o antitranspirante Driclor

Há mais de 35 anos, o antitranspirante Driclor está no mercado. Desde o seu lançamento, muita gente o utilizou para tratar a questão do suor excessivo.

Aqui no Brasil, ele é uma grande referência. No entanto, desde 2018, o produto foi proibido no território brasileiro por falta de registro do fabricante.

Apesar disso, não é difícil de encontra-lo, principalmente no ambiente virtual.

De uso tópico, o Driclor é composto por cloreto de alumínio hexahidratado, água e álcool. Sendo assim, esse antitranspirante é recomendado para diminuir a transpiração excessiva.

Para aproveitar tal feito, basta aplicar o produto nas axilas, mãos e pés.

No entanto, assim como qualquer outro item, o antitranspirante Driclor também pode causar reações adversas, como vermelhidão e pinicação na pele, especialmente em pessoas que têm alguma alergia aos componentes da fórmula.

Caso você perceba algum desses efeitos, suspenda o uso imediatamente. É preciso ficar atento (a) em relação à proveniência do produto.

Isso porque se o Driclor falso for o utilizado, ele pode causar grandes prejuízos. Por isso, é importante saber identificar quando o produto é original.

Diferença entre Driclor falso e Driclor original

Infelizmente, quando o assunto é ganhar dinheiro, geralmente, não podemos confiar na boa fé das pessoas.

Por isso, é importante estar ciente de como identificar se determinado produto é falso ou não. No caso do antitranspirante Driclor, isso não é diferente.

Para descobrir se o Driclor é falso, se atente aos detalhes. Alguns deles são:

  • Número de registo da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA): como citamos anteriormente, o Driclor foi proibido no Brasil. Sendo assim, o original não tem registro
  • A embalagem: se a tampa da embalagem for mais longa e achatada e a última listra mais grossa significa que o Driclor é falso
  • Preço: apesar de ser um chamativo para comprar o produto, o Driclor falso, geralmente, apresenta um valor abaixo da média
  • Bula: o ideal é que todo produto venha com bula. Caso não venha, é sinal que o Driclor é falso
  • Data de validade: sem data de validade ou ela apresentar ser muito longo, é sinal que o Driclor não é original. Além disso, é importante se atentar se tanto o número do lote ou a data de validade do frasco está igual ao da caixa. Se sim, o produto é original.
  • Vendedor: é fundamental saber se o vendedor é uma pessoa de confiança. Para saber mais sobre, você pode perguntar mais sobre o Driclor. Quando o profissional é oficial, ele sabe sanar as possíveis dúvidas

E aí, gostou do nosso post?

Você já sabia como diferenciar Driclor falso do Driclor original?

Post A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *