fbpx

Tudo que você precisa saber sobre a cirurgia simpatectómica

O que é a hiperidrose?

A hiperidrose é uma doença caracterizada pelo suor excessivo, especialmente em áreas como a face, mãos, pés, costas, axila e abdome. Cerca de 2 a 3% da população sofre com a hiperidrose, mas muitas pessoas não recorrem a um profissional de saúde.

Não deve ser confundida com a bromidrose, que causa o mau cheiro no suor. Existem dois tipos de hiperidrose: a primária e a secundária.

A hiperidrose secundária é desencadeada pelo efeito colateral de algumas doenças internas, como o hipertireoidismo e a obesidade, ou do uso de determinados medicamentos. Esse tipo pode causar a sudorese noturna, que não costuma ocorrer na hiperidrose primária.

A hiperidrose primária é causada por fatores desconhecidos e por essa razão sua prevenção é praticamente impossível. Está muito relacionada ao emocional e ao psicológico do paciente, além de ser uma doença de herança genética.

As glândulas sudoríparas tipo écrina é que são responsáveis pela hiperidrose, sendo mais comuns nas palmas das mãos, nas plantas dos pés e também nas axilas. O suor da face, tronco e das costas estão relacionados a esforços.

Já o suor que ocorre na palma da mão e nos pés é geralmente causado por estímulos emocionais e não costumam ocorrer durante o sono. A hiperidrose parece ocorrer por uma resposta exagerada do cérebro aos estímulos emocionais/afetivos.

O corpo humano possui dois tipos diferentes de sistema nervoso: o somático e o autônomo. O sistema nervoso somático é de controle voluntário, como o controle dos membros do corpo, por exemplo.

O sistema nervoso autônomo é involuntário, ou seja, ele regula muitas funções do corpo de maneira “automática”, como o ritmo da respiração, dos batimentos cardíacos e a produção de suor, que está diretamente relacionada à regulação da temperatura corporal.

Como já foi comentado anteriormente, as crises podem ter o estresse e as emoções como gatilho, mas também podem ocorrer espontaneamente, ou seja, sem a presença aparente de qualquer fator desencadeante.

É comum que pacientes com hiperidrose se sintam constrangidos durante atividades sociais, como reuniões de amigos ou de trabalho, e impedidos de realizar atividades física como dançar e praticar esportes.

Há diversos tratamentos para a hiperidrose. A opção pelo tratamento cirúrgico depende do grau ou intensidade dos sintomas do paciente, pois medições objetivas, antitranspirantes potentes, contra a sudorese excessiva podem não ser suficientes.

Você já ouviu falar sobre a cirurgia simpatectómica? Separamos tudo que você precisa saber sobre ela.

Cirurgia simpatectómica

A cirurgia a simpatectómica torácica bilateral por videotoracoscópica costuma durar menos de uma hora e é um procedimento pouco invasivo, que praticamente não deixa cicatrizes.

Foi progresso para o tratamento da hiperidrose primária, sendo um procedimento seguro e amplamente utilizado por vários cirurgiões torácicos e vasculares.

É o tratamento que mais fornece resultados duradouros, podendo ser realizada mediante ressecção (remoção da parte do tecido), termocauterização (destruição por ondas de calor) ou clipagem da cadeia simpática.

A presença do suor compensatório em outros locais é a complicação mais incômoda desse tipo de tratamento, podendo afetar de forma significativa a qualidade de vida dos pacientes.

Habitualmente, o efeito compensatório ocorre sudorese em outras partes do corpo que não eram habituais antes da cirurgia, como tronco, pernas, abdome, coxas, virilhas, pés e glúteos.

A cadeia ganglionar simpática é acessada bilateralmente por meio da Cirurgia torácica videoassistida. Os locais de introdução da câmera variam conforme a preferência do cirurgião, axila, sulco mamário ou inframamilar. Após a introdução da ótica, a cadeia é facilmente visualizada pelo cirurgião. A seleção do nível de secção da cadeia é dependente do tipo de hiperidrose.

Este procedimento “desliga” o canal que “avisa” o corpo para suar excessivamente. Sua melhor indicação é para os casos nos quais as palmas das mãos ou plantas dos pés são acometidas.

A cirurgia simpatectómica não é indicada para pessoas que realizaram outras cirurgias torácicas previamente, pessoas obesas, de idade avançada ou com doenças associadas. Além disso, pessoas que estejam 15% ou mais acima do peso ideal devem emagrecer adequadamente antes de realizar o procedimento.

Tratamento com antitranspirantes

Grande parte dos casos de hiperidrose é mais branda e pode ser contornada apenas com o uso de antitranspirantes que têm como componente ativo o cloreto de alumínio.

Diferentemente do desodorante, que apenas disfarça o mau cheiro (bromidrose), o antitranspirante controla o suor, o que acaba melhorando também os problemas com a bromidrose.

O Odaban é um antitranspirante líder de mercado internacionalmente que nos últimos anos conquistou o público brasileiro que sofre com a hiperidrose. O produto possui registro na ANVISA, logo é possível importa-lo com garantia de originalidade.

Sua embalagem em spray garante uma melhor aplicação na área desejada, seja ela axila, mãos, pés, etc. O Odaban pode inclusive se usado na região da virilha.

Além disso, sua aplicação em spray diminui os desperdícios causados pelos antitranspirantes roll-on e te deixa sempre sequinho(a).

Você sofre com essa condição? Procure assistência médica. Atualmente o leque de opções para o tratamento da hiperidrose é vasto, você não precisa sofrer.

Post A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *